Carinho

INDECISÃO NO AMOR : consulta de leitor

Procuramos casada mais velha 29980

Maraci, bom dia! Eu ainda era um adolescente quando conheci uma garota que namorei por quase cinco anos. Foi a época mais feliz da minha vida. Nos separamos porque o pai dela, que era diplomata, foi transferido para o exterior no início da década de Jamais a esqueci e fiquei sabendo que ela foi praticamente obrigada a se casar com outro diplomata e morar na Europa. Sofri muito, mas também me casei e tive trigêmeas. Nunca esqueci a garota dos meus sonhos. O meu casamento foi feliz, minha mulher sempre foi uma companheirona.

É preciso muita coragem para enfrentar os próprios preconceitos, medos e insegurança. Qual foi o caminho dos casais que você entrevistou para isso? No início, elas mais do que eles tinham muito medo e preconceitos. Por quê? Inverter esta lógica é questionar a própria lógica reproduzida pela maior peça das mulheres. O que incomoda muito! No início, elas têm muita dúvida, muita insegurança e muito medo. Elas sofrem muito, principalmente no início.

Quanto resultado, os jovens apontam que os relacionamentos atuais baseiam-se na individualidade, opção, descartabilidade, busca do romantismo, igualdade de gêneros e superficialidade. Assim, o longínquo das relações seria baseado em maior individualismo entre parceiros e casais morando em casas separadas. Palavras-chave: relacionamentos amorosos; contemporaneidade; adultos jovens; amor; gênero. As a result, young people showed that the current relationships are based on individuality, freedom, disposability, search for romance, gender equality and superficiality.

Leave a Comment